domingo, 3 de junho de 2007

O papel do monitor em cursos a distância através da Internet

VII CREAD – Congresso de Educação a Distância – Mercosul 2003
Aprendizagem e Trabalho: Políticas e Tecnologias



Título: O papel do monitor em cursos a distância através da Internet




Magrit Dorotea Döding; Rosana Baron Zimmer Mendes ; Selma Kovalski
SENAI – CTAI – Centro de Tecnologia em Automação e Informática
Rodovia SC nº 3.730 – Bairro Saco Grande II – Florianópolis – SC

Resumo: O presente artigo tem como objetivo trazer para discussão a importância do papel de um monitor em cursos a distância, realizados através da Internet. Cursos que utilizam esta mídia como o principal meio de comunicação estão se tornando cada dia mais comuns, assim como cresce rapidamente a oferta dos mesmos em diversas instituições. Entendemos aqui como Monitor aquele profissional que auxilia tanto alunos como professores em dificuldades específicas no desenvolvimento de cursos e programas dentro de um ambiente virtual.Mas quem é o profissional que atua nessa área? E qual o seu papel dentro de um curso on line? Qual a sua formação? Ou melhor, existe uma formação específica para essa atividade? Qual a importância de investir na formação de um monitor? Essas e outras questões não têm a pretensão se ser conclusivas, e sim, de abordar um tema, ao qual, nem sempre, é dada a importância devida. Vencer os desafios de preparar uma monitoria que atinja os objetivos propostos ao iniciar um curso, é uma experiência que se está vivenciando há alguns anos, desde que foram implementandos os primeiros cursos e programas através da metodologia utilizando a Internet.


Palavras-chave: Educação. Monitoria. Internet.


1 INTRODUÇÃO


Devido ao rápido desenvolvimento tecnológico e as decorrentes demandas do mercado de trabalho, tem se observado uma oferta cada vez maior de cursos a distância, utilizando a Internet como a principal mídia de interação. Verifica-se também que, embora os conceitos sobre “estudar a distância” estejam mudando, para muitos ficam dúvidas sobre a real eficácia do aprendizado através dessa modalidade de ensino.

A transmissão de informações – seja ela através de meios impressos, eletrônicos e/ou digitais e principalmente o meio em que essa informação é transmitida (no caso a Internet) – , faz com que surjam novos papéis e novas atitudes tanto para alunos quanto para professores e monitores que atuam em cursos on line. A introdução progressiva da tecnologia tem gerado questionamentos naqueles envolvidos no processo educacional. Esses questionamentos dizem respeito, sobre o seu papel social e a sua prática pedagógica. É justamente sobre o papel de um monitor em educação a distância - profissional que atua em cursos via Internet - , que se irá discorrer, visando aprofundar a discussão sobre o assunto.
O papel do monitor surgiu quando foram desenvolvidos os primeiros cursos através da Internet e verificou-se que somente o professor não tinha condições de atender todas as necessidades dos alunos, principalmente aquelas que não eram específicas dos conteúdos dos cursos, mas questões operacionais do dia-a-dia que deveriam ser respondidas de imediato.
Embora para muitos a questão da monitoria nem sempre recebe a devida atenção, o papel desse agente é fundamental para o sucesso de um curso a distância, tentando suprir a “lacuna” que existe na distância física entre professores e alunos.

2 A Educação a Distância através da Internet

Para que se possa compreender melhor o modo como ocorre o processo de ensino-aprendizagem através da Internet, citam-se as vantagens que a mesma oferece, conforme podemos verificar abaixo:

2.1 Vantagens que a Internet reúne para a educação a distância:

É flexível: a qualquer hora e a partir de qualquer lugar pode-se acessar o curso, desde que haja os recursos mínimos, como computador conectado à rede e programa de navegação na Internet.
É dinâmica: principalmente por duas razões: é facilmente atualizável e possibilita o contato direto, a qualquer momento e por razões imediatas, a troca com professores/tutores/equipe de apoio ao curso e outros colegas.
É aberta: pois, além do ambiente virtual criado para o curso, abre-se para a pesquisa em diferentes lugares (sites) – (links) na Internet, ampliando conceitos e informações oferecidos na estrutura do curso e possibilitando que os alunos percorram bibliotecas e sites internacionais, sem custos adicionais, desde que não existam barreiras lingüisticas.
Não tem fronteiras internacionais: pode-se atingir pessoas presentes em qualquer parte do planeta.
É adaptável às necessidades do aluno: a educação a distância on-line adequa-se formação continuada de profissionais que não podem interromper suas atividades de trabalho e também não podem se deslocar para participar de cursos presenciais. [ 1]

2. 2 A aprendizagem contínua
Há muito tempo vem se percebendo que é preciso “estudar para sempre”. É fundamental que os profissionais, independente de área de atuação, estejam em contínuo processo de desenvolvimento e aprendizado. Para que se possa compreender melhor esta questão, veja abaixo o que alguns autores dizem sobre isso:

Segundo Paz, 2001, a aprendizagem é um processo contínuo, que ocorre a partir da evolução conjunta da teoria e da prática. Ambas estão intrinsecamente ligadas. Quando o indivíduo recebe uma informação, imediatamente a relaciona com conhecimentos que já tem armazenados e, a partir destes, constrói um novo conhecimento. Quanto mais ele faz uso desse conhecimento, relacionado com novas informações que recebe, mais o conhecimento se aprofunda e se amplia e, por isso desaprender é muito mais difícil do que aprender.

Segundo Moran (apud Delors, 1998), aprender a aprender, ou aprender a conhecer, visa o domínio dos instrumentos de conhecimento, que pode ser considerado como meio e finalidade da vida humana. Meio, porque cada indivíduo deve aprender a compreender o mundo que o rodeia, desenvolvendo suas capacidades profissionais e comunicacionais. E finalidade, porque é fundamental ter prazer em compreender, conhecer e descobrir. [ 2 ]

Desaprender é um processo que visa transformar velhos conceitos e paradigmas em outros mais adequados e apropriados ao mundo atual; implica rever a experiência adquirida, repensar crenças, valores, conhecimentos e práticas costumeiras. Desaprender significa reavaliar a rotina e modificar hábitos, pois para receber o novo, é necessário renunciar ao velho que a história construiu...

Desaprender, também é ser capaz de mudar, transformar-se e transformar o mundo. Reaprender é reiniciar um processo de aprendizagem. Envolve uma transição, uma transformação, uma mudança de patamar. Por isso, a dificuldade de lidar com as mudanças.

Aprender a aprender implica na aquisição da capacidade de acrescentar algo novo àquilo que já se sabe, permitindo uma reorganização do conhecimentos nas memórias de Curto e de Longo Termo. É esse tipo de aprendizagem que comporta correções, modificações, adaptações, reorganizações e produz mudanças profundas.

A concepção do aprender a aprender como um processo evolutivo coloca nas decisões do homem contemporâneo a capacidade e a responsabilidade de ser um co-construtor de um projeto de futuro desejado. A convivência com o excesso de informações, sensações e imagens impostas pelo mundo atual não lhe deixa outra alternativa que não a de desenvolver essa habilidade.[ 3 ]

Para aprender a aprender, é importante:

- dominar as técnicas instrumentais básicas (leitura, escrita, cálculo, técnicas de estudo);
- planejar e cumprir um plano pessoal de estudo (auto-direção da aprendizagem);
- possuir habilidades para obter a informação desejada;
- desenvolver um estilo próprio de aprendizagem e uma adequada estratégia cognitiva;
- ser consciente dos próprios pontos fortes e fracos como estudante;
- aprender com o ambiente e com os estímulos recebidos diariamente.
2.3 Aprendizagem em ambientes virtuais

A aprendizagem é um processo interno inerente a cada indivíduo. Para criar ambientes propícios que facilitem a aprendizagem em indivíduos adultos é fundamental conhecer suas peculiaridades, cognitivas e culturais, interesses econômicos, sociais e profissionais, pois as novas demandas se formam baseadas nas necessidades e nas novas possibilidades tecnológicas conhecidas.
Cada vez mais se procura e se necessita de flexibilidade de tempo, de distância, de custos em qualquer programa de treinamento. Essas necessidades acabam criando novos conceitos e realidades. Hoje existe uma maior consciência das especificidades na forma como os adultos aprendem, o que desencadeou no surgimento de um área da pedagogia denominada andragogia, que se ocupa em estudar o processo de aprendizado nos adultos.

Também é possível contar com novos espaços para a construção de ambientes de aprendizado. Espaços não necessariamente físicos, materiais, que ocupem lugar no espaço, mas, ao contrário, virtuais. Com o advento dos computadores e de suas redes, que podem ligar pessoas dentro de uma empresa ou pelo mundo, novas possibilidades de ambientes mais flexíveis (em tempo, lugar e em formação de coletividades) se tornaram viáveis. Por tudo isso, é necessário dar suma importância para o perfil do adulto que busca a educação contínua.

3 A Monitoria On Line

3.1 As responsabilidades de um monitor

Um curso a distância através da Internet deve visar a qualidade do atendimento que presta para os envolvidos, tanto professores quanto alunos. A equipe de monitoria é, nesta estrutura, a responsável pelo contato direto com os alunos e professores. Sua principal função é manter a comunicação entre os envolvidos e o engajamento dos alunos no curso.

A monitoria a distância auxilia os alunos quanto às dificuldades específicas que apresentam dentro do ambiente virtual. Além de atender, através de telefone e fax, quando o aluno tem alguma dificuldade específica no ambiente. Essa forma de interação é mais comum no início do curso, quando os alunos ainda não estão totalmente familiarizados com o ambiente e não se sentem totalmente à vontade para interagir através dele.

Para Fiuza, Matuzawa, e Martins, 2001, “O monitor é o agente responsável pela integração deste modelo, realizando ações de socialização por meio do estabelecimento de contato entre alunos e professores e estimulando a motivação para a aprendizagem.” Ainda de acordo com os autores, o monitor tem a função de auxiliar em questões de acesso tecnológico, incentivando o uso do ambiente virtual de aprendizagem e esclarecendo dúvidas referentes ao mesmo. [4]

É importante lembrar que, quando o docente não se fizer diretamente presente ao longo do curso, todo o acompanhamento do aluno é feito pelo monitor – daí a importância do seu papel (uma falha na capacitação de um monitor pode levar os alunos à frustração ou perda da motivação).

3.2. Perfil desejável de um monitor (ou habilidades e ou características que o bom monitor on line deve ter)

A formação de um monitor é um desafio. Ele precisa atender a requisitos mínimos e ter as respostas básicas para o aluno a quem estiver prestando o serviço de monitoria (por exemplo: o aluno deverá saber por onde começar o curso, se é necessário algum conhecimento prévio do ferramental etc).
Abaixo, estão listadas algumas características desejáveis que o monitor deve possuir:

- Dominar a comunicação oral e escrita.
- Atuar com autonomia, criticidade (Senso crítico), flexibilidade e organização.
- Perceber, compreender e personalizar o atendimento ao aluno.
- Aplicar embasamentos pedagógicos no desenvolvimento multidisciplinar (alunos e professores) no processo de aprendizagem.
- Gerenciar, mediar e facilitar a aprendizagem do aluno.
- Proporcionar a motivação.
- Desenvolver princípios básicos de relacionamento interpessoal.
- Conhecer tecnologia básicas utilizadas no processo.
- Ter empatia com os alunos.
- Dominar recursos tecnológicos que dão suporte a um curso ou ambiente virtual.

Berge (1995) sugere que condições necessárias para uma tutoria on line bem sucedida e as agrupa em quatro áreas: pedagógica, social, gerencial e técnica. Todavia, ela destaca que nem todos os papéis previstos precisam ser desempenhados por uma única pessoa e, na prática, raramente o são. [5]

3.3 Atribuições básicas do monitor:

A seguir, são apresentadas algumas atribuições, que podem variar de acordo com a complexidade e com o objetivo de cada curso:
- Atendimento aos alunos distantes, solucionando as dúvidas operacionais e em alguns casos, encaminhando as dúvidas pertinentes ao conteúdo desenvolvido no curso aos professores;
- Atendimento aos alunos via e-mail, fórum, chat, fax, telefone ou presencialmente. Embora os treinamentos e cursos sejam a distância, é bastante comum receber a visita de alunos que desejam “conhecer” as pessoas com quem estão interagindo;
- Assessoramento no domínio do ambiente virtual;
- Orientação aos professores na elaboração do material para as aulas online e também no material didático impresso;
- Disponibilização de material no ambiente virtual;
- Publicação de avisos e informações dentro do ambiente virtual.

A monitoria, seja ela de ordem técnica ou pedagógica, deve garantir a resolução dos problemas encontrados na utilização do ambiente virtual da Internet, de forma que não desmotivem ou impeçam o aluno no processo de aprendizagem.

3.3 Competências

O monitor acompanha os cursos sem envolver-se com as questões de conteúdo e avaliação de aprendizagem. Essas questões dizem respeito ao professor responsável da disciplina. É ele também quem deve aplicar e analisar os questionários de perfil da turma, das avaliações das disciplinas cursadas e do modelo do curso.

A seguir, são citados alguns pontos que fundamentais para que o trabalho de monitoria seja bem sucedido:


Motivação.
Para Campos (1993) a motivação constitui o centro de interesse de todo processo educativo, em que a aprendizagem é um processo de atividade pessoal, reflexiva e sistemática e depende do acionamento das potencialidades do educando sob a orientação do educador a fim de conseguir um ajustamento pessoal e sócio-cultural adequados.
Destaca-se nesse sentido o papel do professor enquanto mediador e estimulador da motivação do aluno. No entanto, é necessário considerar as características específicas do aluno adulto. Pois o adulto estará motivado a participar de atividades de aprendizagem se der conta de que isso lhe ajudará a resolver problemas pessoais, sociais e/ou profissionais. [ 2 ]

A importância da motivação vem sendo destacada não só na educação convencional, mas principalmente na educação a distância (EAD), pois o aluno adulto não é obrigado a estudar, apenas o faz se e enquanto estiver motivado. Assim, torna-se essencial conhecer as suas motivações específicas para que elas sejam atendidas durante a elaboração de unidades didáticas (ou materiais didáticos utilizados pelos alunos durante o desenvolvimento do cursos) e/ou cursos a distância. O aspecto motivacional sempre age sobre o indivíduo salientando a importância dessa característica no processo ensino-aprendizagem.

Segundo Paz:

“Para manter a participação ativa nos processos de aprendizagem on-line é preciso que os envolvidos percebam uma ordem, algumas “regras do jogos”; que tenham um feedback regular para suas questões e sugestões de melhorias; e que possam contar com suportes técnicos e tutoriais. Contudo, é preciso dar abertura a estes usuários, estes adultos que aprendem, para que façam suas escolhas sobre temas, conteúdos, e grupos aos quais pertencerão. A mediação é favorável, porém poderá ser perversa se, ao invés de servir como um suporte ao processo, venha impor rigidez burocrática e opere através de uma estrutura hierárquica.” [5]

Relacionamento interpessoal
O sucesso nas atividades do monitor em um curso a distância deve ser também creditado, além da estrutura estabelecida, a fatores que dizem respeito ao relacionamento interpessoal. A forma como se estabelece o relacionamento do monitor com os outros componentes do curso, em especial os alunos, torna-se fundamental.

Um bom atendimento geralmente envolve atitudes como amabilidade, atenção, flexibilidade, comprometimento, cumprimento dos compromissos e soluções para resolver os problemas dos clientes.
Em um curso conduzido na à distância, quais são as necessidades do aluno? Nele, o aluno tem, como principais ferramentas de comunicação, o correio eletrônico e recursos para bate-papo (chat). Através do correio eletrônico, ele pode estabelecer contato com o professor, com os colegas e com a secretaria. O chat serve como ponto de encontro com os colegas e o professor. Recursos mais tradicionais, como o telefone ou fax, não podem ser descartados. [6]

E qual seria o papel e atuação do monitor? O monitor entra justamente nas brechas que a relação a distância acaba criando. Além de atender a todas as solicitações técnicas, o monitor tem de tentar suprir todas as deficiências da comunicação entre os elementos do curso.

Deficiências na comunicação
Um fator primordial que deve ser levado em conta, é a comunicação. A comunicação entre monitor e alunos, independentemente do recurso utilizado, deve ser a mais completa, objetiva e clara possível, não permitindo interpretações dúbias.

Essa é uma grande dificuldade. A comunicação escrita, seja através do correio eletrônico, da elaboração de tutoriais, enunciados ou recados, exige cuidados especiais. Muitas vezes uma instrução é passada de forma dúbia, gerando dúvidas e incertezas no aluno. Se ele não tiver a quem solicitar ajuda, ficará muitas vezes impedido de progredir em seus estudos e tarefas. Mesmo que tenha com quem socorrer-se, se esta pessoa nem sempre estiver disponível, o mesmo problema pode ocorrer.

A comunicação é um ponto essencial em EAD, não só os meios com os quais se realiza a comunicação, mas basicamente como o aspecto da clareza da mensagem facilita o entendimento do outro. O aluno que fica excluído do processo por não poder contar com um esclarecimento, mesmo simples, vai fatalmente ficar desmotivado a ponto de evadir-se do curso. Os problemas do aluno referem-se não só a instruções dúbias ou mal formuladas, mas também a aspectos técnicos e tecnológicos. Se ele sabe que pode sempre contar com uma orientação segura na solução de seu problema, sente-se estimulado e pode dedicar mais tempo ao estudo do conteúdo do curso.

A pessoa envolvida nas atividades de monitor deve ter em mente o perfil do aluno com quem está se comunicando. Dessa forma pode evitar o uso de linguagem demasiadamente técnica ou jargões da área e, assim superar mais facilmente as dificuldades na comunicação. O mesmo pode-se dizer a respeito da comunicação oral. [7]

Fatores primordiais no atendimento
Diversos fatores contribuem para um bom atendimento, dentre eles alguns podem ser citados, tais como:
• conhecimento e prática nas ferramentas que serão utilizadas no curso - a experiência anterior permite uma melhor e mais rápida identificação dos problemas típicos, facilitando e agilizando a proposta de soluções; esse conhecimento possibilita a rápida elaboração de mini-tutoriais para solucionar problemas específicos;• "empatia" - capacidade de se colocar no lugar do outro, identificar o nível de profundidade que cada aluno necessita;• aspectos pedagógicos - saber que certas dificuldades fazem parte do aprendizado do aluno e não é função do suporte resolver tudo; não se deve "dar o peixe", mas sim "ensinar a pescar";
• criatividade - na busca de soluções para os problemas apresentados;• flexibilidade - a natureza e tema das solicitações são as mais diversas, por isso a equipe deve ter flexibilidade para adequar-se e responder a cada novo desafio;• amabilidade, atenção, gentileza - tratando a todos o mais prontamente possível, sempre de forma amável e simpática;• comprometimento e cumprimento dos compromissos - dado de grande importância, pois cria nos alunos a confiança nos serviços prestados [7]
4. CONCLUSÕES

O papel do monitor é primordial para o bom andamento de um curso a distância. Sem ele, o professor seria onerado por tarefas administrativas e tecnológicas, simultaneamente ao seu trabalho específico sobre o conteúdo.
Ainda não se tem e nem tem a pretensão de ter uma “receita pronta” para a formação do monitor. O objetivo é capacitar o profissional de forma que o mesmo possa atender aos alunos com qualidade, utilizando todas as ferramentas e competências disponíveis.
Linch e Corry (1998) apontam a prática como a melhor técnica para aprender a usar tecnologias de educação a distância. [ 8 ]
A prática, aliada a conhecimentos e estudos sobre a educação a distância, realmente contribui no processo de ensino-aprendizagem do monitor.


REFERÊNCIAS

1 Guia de Estudo para o curso de Especialização para Gestores de Instituições de ensino Técnico, realizado pela equipe do Laboratório de Ensino a Distância da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Agosto de 1999. 4ª edição.
2 CAMPOS, Dinah M. de S. Psicologia da aprendizagem. 23 ed Petrópolis: Vozes, 1993.

5 comentários:

aprendizado contínuo disse...

Achei o artigo interessante, pois descreve o papel do monitor em cursos a distância na internet, discute a importância de investir na sua formação e descreve suas responsabilidades, competências e perfis. Conclui-se que o papel do monitor é primordial para o bom andamento de um curso a distância.
Diante disso, fica clara a importância de investir na formação destes profissionais que interagem e auxilia os alunos a distância, quanto às dificuldades específicas que apresentam dentro do ambiente virtual.

Márcia Quadros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Márcia Quadros disse...

Gostei do artigo, pois aborda como trabalhar com os os Pilares da Educação formulados pela Unesco. Assim como, pontua o papel do Monitor na Educação a Distância.

Nota-se que o aluno que estuda a distância precisa muito ser monitorado para ter estímulo de continuar e saber que não está só, somente ele e a máquina.

O Papel do Monitor é de humanizar o ambiente de aprendizagem virtual.

sirlene disse...

A aprendizagem a distancia e uma oportunidade unica , e sabemos que quando for necessario teremos o auxilio de um tutor no qual nao e professor,O PAPEL DO MONITOR ,e de extrema necessidade porque mais que professor e incentivador e amigo de todos os momentos.

sirlene disse...

A aprendizagem a distancia e uma oportunidade unica , e sabemos que quando for necessario teremos o auxilio de um tutor no qual nao e professor,O PAPEL DO MONITOR ,e de extrema necessidade porque mais que professor e incentivador e amigo de todos os momentos.